=‘•..•’= O Gato se esconde atrás de sua ferocidade para se proteger...mas se observarmos com o coração podemos decifrar sua real personalidade e perceber a doçura que se esconde profundamente em teu olhar =‘•..•’=...by VGitana Bastet

⇩Postagens

⇩Postagens

Brigas entre gatos



Existem inúmeras razões pelas quais o seu gatinho pode se envolver em uma briga com outro, mesmo que eles já convivam há algum tempo. Para resolver
o problema é importante saber a causa dessa disputa.

Se você pensa em adquirir um novo gato, introduza-o de forma gradual. Você pode até achar que está fazendo um favor em trazer para casa uma nova companhia, mas seu gato pode enxergar o novo colega como uma ameaça. Se nós não adoramos outras pessoas automaticamente no momento em que as conhecemos, por que esperar que os gatos sejam diferentes? No começo mantenha-os em cômodos separados e introduza o gato novo aos poucos, sempre os deixando juntos somente com supervisão. Pode levar um tempo até que eles se acostumem, seja paciente.

Gatos são bastante territoriais, portanto, para não haver disputa, providencie a cada gatinho suas próprias coisas (cada um deve ter um arranhador, pote de água, caixa de areia – de preferência uma caixa a mais do que o número de gatos na casa), pelo menos no começo. Quanto mais oportunidade de cada um ter seu próprio espaço, menores as chances de eles acabarem brigando por algo.

Outro motivo que leva os gatos a brigarem é o olfato, um sentido muito importante para eles. Não é incomum o dono levar um dos gatos para o veterinário, e na hora em que chega em casa, esse gato é atacado pelo outro que ficou. Isso porque o gato que saiu acabou ficando com vários cheiros diferentes, o que confunde o que ficou em casa. Para evitar isso, antes de sair do veterinário esfregue no gato que está com você uma toalha contendo o cheiro do que ficou em casa. Isso também ajuda na hora de trazer um novo felino para casa, pois assim um já vai se acostumando com o cheiro do outro.

Tenha certeza também de que está tudo bem com a saúde do seu gatinho. Quando estamos doentes não queremos ninguém mexendo com a gente. Se ele estiver com algum probleminha de saúde pode atacar o companheiro quando ele se aproxima ou tenta brincar. Eles são ótimos em disfarçar que estão doentes, portanto, se seu gato apresentar alguma mudança brusca de comportamento, leve-o ao veterinário para descartar qualquer problema.

Pode acontecer também o que chamamos de “agressividade redirecionada”, quando o gato acaba ficando agitado por algum estímulo externo, e desconta a frustração na primeira oportunidade que aparece. Por exemplo, quando ele está olhando pela janela e vê um cachorro. Como ele não consegue fazer nada a respeito, acaba descontando no companheiro que está ao lado. Apesar de ser comum acontecer, você pode prevenir esse tipo de agressividade prestando atenção ao que deixa seu gato agitado e evitando essas situações (nesse caso, por exemplo, fechar a cortina ou não deixá-lo ter acesso à janela).

Disputas entre machos quando eles atingem a maturidade sexual (entre 2 e 4 anos de idade) também é muito comum, podendo ser evitada através da castração.

Se por acaso a briga já estiver ocorrendo, não tente entrar no meio e interrompê-la pegando um dos gatos, você pode acabar se machucando seriamente! Faça um barulho alto ou jogue água neles à distância, de um lugar onde os gatos não possam te ver para que não associem a briga a você.

Se você aprender a ler os sinais dos seus gatos, talvez consiga minimizar a chance de algo mais grave acontecer. Fique atento se eles começarem a se olhar fixamente, arrepiar o pelo ou arquear as costas, abaixar as orelhas e deixá-las bem próximas à cabeça. São sinais de que eles estão prestes a começar uma briga.

Tome cuidado para não reforçar o comportamento errado. Dar carinho ou comida ao gato que está demonstrando sinais de agressividade pode até acamá-lo, mas acaba fazendo com que ele se sinta recompensado por essas atitudes. Ao invés disso, recompense-o quando estiver calmo e interagindo de forma pacífica, isso também os ajudará a fazerem associações positivas um com o outro.

Fonte: Cão Cidadão
Texto Thais Oliveira (adestradora da Cão Cidadão)
Revisão Alex Candido
Foto:  Google

2017

2017