=‘•..•’= O Gato se esconde atrás de sua ferocidade para se proteger...mas se observarmos com o coração podemos decifrar sua real personalidade e perceber a doçura que se esconde profundamente em teu olhar =‘•..•’=...by VGitana Bastet

⇩Postagens

⇩Postagens

Saiba como evitar a obesidade nos felinos


“Gordinho” não é sinônimo de saudável


Considerada uma doença dos tempos modernos, a obesidade não é apenas a forma de má nutrição mais frequente no ser humano. O mesmo acontece com os gatos, uma vez que aproximadamente 25 a 40% da população felina pode ser considerada obesa. A obesidade ocorre devido a uma alteração no balanço energético. Quando a ingestão calórica (alimento) é maior do que o gasto energético (consumo de energia para sobrevivência associado à atividade física), o excesso ingerido é automaticamente estocado no corpo na forma de gordura.

Gatos menos sedentários
No passado (antes da domesticação) os gatos viviam livres na natureza e não desenvolviam obesidade, pois gastavam muita energia caçando. Para se obter uma única refeição, em média, um gato realizava aproximadamente 15 investidas na sua caça. Ao longo do dia, um gato necessita de 6 a 7 refeições para suprir suas necessidades, o que totalizam aproximadamente 100 investidas.
Assim, a energia proveniente do alimento ingerido era suficiente apenas para a sua sobrevivência. Diferentemente do que ocorre nos dias de hoje, os gatos raramente ou quase nunca caçam. O alimento geralmente fica à sua disposição o dia todo, e em locais de fácil acesso. Além disso, as rações são altamente palatáveis (saborosas), fato este que estimula os gatos a comerem ainda mais.

“Gordinho” não é sinônimo de saudável
A obesidade é uma doença grave, que predispõe ao desenvolvimento de outras doenças, tais como diabetes, problemas de pele, lipidose hepática, doença oral, doenças do trato urinário e lesões articulares e ortopédicas. Os gatos obesos adoecem com mais frequência que os gatos não obesos, o que leva a uma redução na qualidade de vida. Sabe-se também que animais obesos vivem menos que animais com peso ideal. Aproximadamente 34% dos gatos diabéticos obesos ou com sobrepeso deixariam de ser diabéticos se perdessem peso.

A idade é outro fator que pode influenciar significativamente no ganho de peso. Conforme os gatos ficam mais idosos a necessidade energética vai diminuindo, ou seja, quanto maior a idade menor é a quantidade de alimento que deve ser ingerida para manter o peso constante – isso ocorre a partir do segundo ano de vida até aproximadamente o décimo primeiro. Geralmente, a partir do décimo segundo ano de vida, os felinos tendem a perder peso, pois há um menor aproveitamento do alimento pelo seu sistema digestório.

Cuidado ao castrar o gato
A castração também predispõe à obesidade (gatos castrados apresentam maior incidência de obesidade em comparação com os não castrados). Após a castração, o médico veterinário deve orientar o dono do felino sobre qual o alimento e, principalmente, a quantidade ideal a ser ingerida. Levar o gatinho ao consultório veterinário mensalmente após a castração também é uma medida importante, pois será possível identificar precocemente o ganho de peso, e iniciar uma dieta com restrição calórica.
Avaliar se um gato apresenta condição corporal ideal, se está acima do peso, obeso ou subnutrido não parece ser tarefa difícil num primeiro momento. Entretanto, existem métodos científicos para se diagnosticar a obesidade e também para quantificá-la. São considerados obesos os animais cujo peso corporal está 15% acima do peso ideal ou ainda que possuam a porcentagem de gordura corpórea acima de 25%. A medição da porcentagem de gordura corpórea é realizada pelo próprio médico veterinário.

Dieta médica
Atualmente existem no mercado rações desenvolvidas exclusivamente para o tratamento da obesidade. Vale lembrar que a dieta com restrição calórica deve ser sempre realizada sob a orientação do médico veterinário, clínico geral ou ainda do profissional especializado em endocrinologia.

Pratica esportiva para os gatinhos
A atividade física também faz parte do tratamento para redução de peso. As brincadeiras devem ser estimuladas várias vezes ao dia. Além disso, as atividades aquáticas (embora possam parecer de difícil execução quando comparado aos cães) podem ser prescritas visto que promovem menor impacto sobre as articulações que já sofrem com o excesso de peso.

Os felinos que já foram obesos devem receber um cuidado especial. Na maioria das vezes, eles continuam comendo rações com calorias reduzidas (ração terapêutica para manutenção do peso ou ração light) e em quantidade determinada pelo médico veterinário. É importante salientar que se o paciente comer rações hipocalóricas em quantidade não controlada (ração à vontade) provavelmente irá ganhar peso.
Os donos de felinos que tenham dúvidas quanto à condição corpórea do seu gatinho ou ainda dúvidas com relação ao manejo alimentar devem sempre consultar o médico veterinário. Uma orientação adequada certamente poderá prevenir o desenvolvimento da obesidade.

Antes do Tratamento




Depois do tratamento



















2017

2017